Filosofia

>> Sentido da Vida >> Verdade >> Razão >> Religião

Idiossincrasia

>> Politicamente Incorreto >> Máximas Kaduzianas >>

Mixórdia

>> Tudo o que não se encaixa nos demais temas deste blog

Poesia

>> Poesias que rabisquei ao longo da vida

Tecnologia

>> Tendências >> Google >> Gadgets >> Informática

Home » Poesia

No. 1 [sem título]

Postado por , sexta-feira, 14 de novembro de 2008Sem Comentários

Bons tempos aqueles em que eu era infeliz.
Nesses idos, podia saborear ao menos um sentimento.
Hoje, tudo me foi tomado: tristeza, dor, solidão…
Até o amor, que sempre me torturou, já não tenho.
Só me restou a respiração, que cruelmente insiste em não me largar.

Fracassei em tudo.
Quis ser astronauta. Não saí do chão.
Quis ser rico. Não guardei um tostão.
Quis ser feliz. Só acumulei frustração.
Quis escrever livros, contar histórias. Faltou-me imaginação.
Quis mudar o mundo, ajudar os que precisam. Quem precisou de mim?

A vida foi para mim um fardo,
Cercada de fados por todos os lados.
(Falo foi como se fosse.
Quem me dera, essa quimera!
Mas se inda falo, é porque sou -
Continuo refém dessa existência.
Oh, Deus, Clemência!)

Sérgio de Assis
(Heterônimo de Kadu Palhano)

Popularity: 1% [?]

Deixe o seu comentário!

Escreva o seu comentário, ou trackback do seu próprio site. Você também pode se inscrever via RSS.

Enfim, fique à vontade. Sinta-se em casa e dê a sua opinião sobre este texto. Mas, 'pelamordedeus' nada de spam!

Se quiser, você pode usar estas tags no seu cometário:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Este blog permite Gravatar. Para Conseguir seu próprio avatar, registre-se em Gravatar.

</div>